O que é sífilis?

A sífilis é causada pelo espiroqueta “treponema pallidum” é uma doença infecciosa bastante grave, com evolução crônica, alternando surtos agudos e de latência. Produz lesões na área genital que podem se alastrar para várias partes do organismo.

Quais os meios de transmissão?

A sífilis é transmitida pelas relações sexuais vaginais ou anais feitas com parceiro contaminado. Pode ser transmitida pelo contado sexual oral, pelo sangue contaminado e da gestante para o feto.

Como se classifica?

A sífilis é classificada em quatro tipos:

  1. A sífilis adquirida recente (com menos de 1 ano de evolução), com tres fases: primária (Também chamada de crânco duro), secundaria e latente recente.
  2. Sífilis adquirida tardia (com mais de 1 ano de evolução), com duas fases: latente tardia e terciária.
  3. Sífilis congênita recente (casos diagnosticados até o segundo ano de vida).
  4. Sífilis congênita tardia (após o 2o ano de vida).

Quais os sintomas das diversas fases?

1) Sífilis primária ou cranco duro

Essa fase, que é chamada também de “cranco sifilítico”, caracteriza-se pela presença de lesão rosada ou ulcerada geralmente única, pouco dolorosa, com base endurecida, fundo liso, brilhante e secreção serosa escassa. A lesão aparece entre 10 a 90 dias após o contato sexual com a pessoa infectada. No homem, a lesão aparece com maior frequência na glande e no prepúcio. Na mulher, é mais comum nos pequenos lábios, na parede vaginal e no colo do útero, podendo estender-se também para outras regiões do corpo.

2) Sífilis secundária

Caracteriza-se pela presença de lesões não ulceradas na pele e nas mucosas, depois de seis a oito semanas do aparecimento da sífilis primária. Pode causar febre, inflamação na garganta, gânglios enfartados em varias regiões do corpo, perda de cabelo, diminuição de peso, perda de apetite, erupções cutâneas avermelhadas ou arroxeadas na planta dos pes, na palma das mãos (rubéolas sifilíticas) e lesões úmidas nas genitais.

3) Latente recente e tardia.

É a forma de sífilis adquirida na qual não há sinais ou sintomas clínicos. Essa fase assintomática pode ser interrompida com o aparecimento dos sintomas das fases primária e secundaria.

4) Terciária

Os sintomas aparecem entre três e doze anos após a infecção, principalmente através de lesões da pele e das mucosas. o paciente infectado pode ter doenças na medula espinhal (neurossífilis), nos olhos e em outros órgãos.

5) Congênita

É a infecção transmitida da mãe para o filho durante a gestão ou o parto. Entre 70% a 100% das mulheres que não fazem o tratamento, transmitem a infecção para os filhos. Apenas nas fases latente e terciária o risco de infecção cai para 30%.

Quais os exames feitos para detectar a Sífilis?

O VDRL (Venereal Disease Research Laboratory) é o exame utilizado para o diagnostico, solicitado rotineiramente para as gestantes e para todas as mulheres que fazem exames de prevenção. É obrigatório também para os portadores de DSTs. O LCR, exame liquido cefalorraquidiano, é recomentado para os recém nascidos de mães pertencentes a grupos de risco, para detectar problemas neurológicos. O médico poderá também solicitar radiografias que indicam a existência de anomalias nos ossos dos bebes.

Qual o tratamento para a sífilis?

O tratamento é feito basicamente com penicilina. Os pacientes que são alérgicos à penicilina recebem o tratamento de dessensibilização que permite tomar o medicamento sem problemas.

Quais as complicações para a gestante portadora de sífilis?

Quando a infecção da mulher ocorre durante a gravidez, pode haver aborto espontâneo, nascimento prematuro ou morte do feto, Em 40% a 70% dos casos, a criança também terá sífilis ativa se não for detectada a tempo, podendo ter lesões nos olhos, no cérebro ou no coração. As crianças contaminadas podem nascer já com os sintomas da doença ou assintomáticas. Nesse caso, o vírus pode estar presente no organismo vindo manifestar-se mais tarde.

O que significa Sífilis congênita precoce?

Sífilis congênita precoce é quando a doença se manifesta em crianças até dois anos de idade. Causa baixo peso, rinite, coriza, obstrução nasal, alterações respiratórias, pneumonia, icterícia, anemia grave, fissuras em torno da boca e lesões cutâneas.

E sífilis congênita tardia?

É quando os sintomas surgem a partir dos dois anos de idade. Os dentes incisivos superiores ficam deformados e manchados e a mandíbula curta. Essa fase é chamada de “doença de Hutchinsom”. As crianças podem sofrer também de surdez e apresentar dificuldades no aprendizado.

Como fazer a prevenção da sífilis congênita?

Para a mulher que pretende ter filhos, a prevenção começa antes da gravidez fazendo os exames recomendados para o diagnóstico. O parceiro também deve fazer os exames. A gestante deve sempre fazer pré-natal até o parto que pode detectar essas e outras doenças. A sífilis é congênita é uma doença de prevenção, bastando que a gestante seja diagnosticada e tratada rapidamente.

E quais são as medidas de prevenção para homes e mulheres em geral?

A prevenção é feita usando preservativos nas relações sexuais e o diagnóstico precoce, através do teste de VDLR. O teste é muito importante, principalmente na idade de reprodução e deve ser feito sempre que houver corrimento, coceira, feridas, úlceras ou verrugas em um dos parceiros sexuais.

Compartilhe isso... Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInBuffer this pageEmail this to someone

Comments are closed.